CALÚNIA: A DEPRAVAÇÃO TOTAL DO PENSAMENTO HUMANO

    0

    Cautela é não dizer tudo o que se pensa, mas pensar em tudo antes de falar. Devemos pensar antes de falar para não ACUSAR FALSAMENTE.

    A calúnia, mentira e maledicência são PECADOS que destroem os relacionamentos e produzem efeitos devastadores. Em Efésios 4:25, o apóstolo Paulo ensina a importância da verdade nos relacionamentos:

    “Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros”.

    Mentirosos são precipitados em seus julgamentos. Avaliam o outro com base em suas intenções, visando seus próprios interesses. Distorcem e destroem a imagem das pessoas com o propósito de se autopromover, esconder suas fraquezas e erros, além de atribuir seus problemas de caráter àqueles que apresentam virtudes.

    Desmerecer e caluniar o outro é sempre um ato covarde daqueles que não trabalham, não edificam e não abençoam. Antes, esmeram-se traiçoeiramente para atingir seus desejos egoístas, visto que pessoas traiçoeiras gostam de visibilidade, alimentam seus egos com elogios, agem falsamente, quebram relações, desfazem amizades e gostam de contendas.

    Caluniadores são sempre invejosos, traiçoeiros e manipuladores. Parecem ser dóceis, são amáveis e gentis; articulados e criteriosos, investem tempo em suas armadilhas. Manipulam informações, usam pessoas, empreendem testemunhas falsas, buscam sofismas, demonstram piedade, apresentam-se como servos de Deus, mas vivem como filhos do mal. Seus frutos denunciam suas más obras, suas atitudes mostram a maledicência de seus lábios.

    Cuidado com os caluniadores. Incontestavelmente, quem fala mal dos outros para você, falará mal de ti para outras pessoas. Provérbios 16:28 nos alerta sobre o perigo da maledicência:

    “O homem perverso espalha contendas, e o difamador separa os maiores amigos”.

    Por conseguinte, a calúnia, a mentira e a maledicência são venenos do mal, estratégias da perdição, usadas para propagar maldade, dividir pessoas, separar amigos, provocar divisões . No entanto, o amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio são virtudes de um caráter transformado pelo Espírito Santo.

    Everaldo Borges

    (Pastor na Igreja Presbiteriana da Bahia, servindo na Congregação 2 de Julho)